quinta-feira, 5 de junho de 2008


“... Foi quando ele percebeu que algo ali estava diferente. Não diferente e novo. Só diferente. Diferente do que era antes, sentiu que já deveria ter sentindo aquilo, mas agora parecia perceber que era forte de verdade. E não era novo, mas era novo por ser diferente e inesperado. Ele sabia que não era inesperado, mas não queria pensar nos motivos que o faziam pensar que era inesperado. Porque agora ele só queria pensar em uma coisa...

E agora já recomeçava a se perder em seus pensamentos e vagar por eles. Sentia-se triste, talvez revigorado. Tinha certeza que um filme ia se repetir com um novo desenrolar, mas com o mesmo enredo. E o final já era previsível. A sensação já era conhecida, parecia fazer muito tempo. Parecia ter sido esquecida. Era tudo misterioso. Era tudo esquisito. Era tudo de novo.”

7 comentários:

Leandro Munis disse...

Nada é será como antes. É um erro acreditar que as coisas ruins ou boas tendem a acontecer do mesmo jeito. Ao invés disso, concentrar no momento e tirar o melhor daquilo é um solução muito eficaz.

Obrigado pela visita no http://28onze82.blogspot.com/

Abraço!

Victória D. disse...

É confuso, por isso é maravilhoso.
Adorei.

Nathalia disse...

adorei o texto, deixa subentendido.
gostei do seu blog :)
volto mais vezes aqui ^^

vai la no meu se puder.
www.coffeeandcigarrets.blogspot.com



beeijo
:*

Tyciara Olvieira: disse...

Gostei bastante.
Bem, eu diria até melhor que confuso, é uma banguça organizada. :)

Mancini disse...

Cara, valeu por não me achar problemática.
é bom ouvir isso!

Tyler Bazz disse...

Tudo é sempre novo, sempre imprevisível.
Até quando lemos um mesmo texto mais de uma vez, ele é diferente a cada uma das leituras...

E não adianta se preparar pra qualquer coisa. Quando acontece, parece mesmo imprevisível.

Willyan Cordeiro disse...

Se é novo é imprevisível.
O novo vem para o bem (ou não!!)
Mudar é preciso. Sentir-se melhor, consigo mesmo e com todos!
Revigorar, crescer, aprender, escutar.

Flws